Segunda-feira, 14 de Abril de 2008

O Gigante Mirrado com Complexo de Identidade (Variação em Amarelo)

 

 

 

Olha que giro é não mexer os braços. Sua cambada de braços não inertes filhos da mãe. Não sabem da maldição de viverem com cara enrugada e granulosa, sempre com um homem debaixo das saias. Estar fechada durante o ano num armazém para no único dia que saio andar feita parva à procura do passado que nunca tive e do futuro de que nunca me lembrei poder ter. E se não encontro não é por falta de não olhar à minha volta. Aquele barulho infernal atrás de mim com mais bum e bam que a guerra quente (se existiu a fria tem de haver por força uma quente). Matem-me, por favor.


publicado por Axel às 17:36
link do post | comentar (mas com cuidado) | favorito
|

Wind In The Wires

Nós

pesquisar

 

Abril 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

coisas recentes

Velho Autista

Artista Plástico

Porta para Anões

Alma

Morte do Artista

O Gigante Mirrado com Com...

Proxenetas e atrasados me...

O Gigante Mirrado com Com...

O Jardineiro Feliz

Sistemas de Morte a Cínic...

coisas mais antigas

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

SAPO Blogs

subscrever feeds